, ,

Rara impacção dental de primeiro, segundo e terceiro molares com risco de fratura mandibular – relato de caso


R$56,00

  Perguntas e Respostas

Vol. 10 – Número 38 – 2019 CADERNO DE IMPLANTODONTIA Relato de caso / Case report Página 37-41 Rara impacção dental de primeiro, segundo e terceiro molares com risco de fratura mandibular – relato de caso Rare dental impaction of first, second and third molares with risk of mandibular fracture – case report Luis Claudio Cardoso Santos1 Diego Tosta Silva1 Mariana Machado Mendes de Carvalho1 Victor Hugo Moraes Salviano2 Jeferson Freitas Aguiar3 André Sampaio Souza3 Resumo Impacções dentais são definidas como a ausência da irrupção dental causada por uma barreira física identificada ou por posição anormal do dente. A presença de impacção nos primeiros e segundos molares inferiores é de baixa incidência representando, respectivamente, 0,01% e 0,06 a 0,3%, sendo ainda, em ambas, mais comum a apresentação de forma unilateral, mésio-angulada com predileção pelo sexo feminino, o que torna as mesmas relativamente raras. Os primeiros e os segundos molares são de grande importância para o desenvolvimento normal da dentição e coordenação do crescimento facial, podendo a impacção destes alterar estes mecanismos e ainda causar problemas como cáries, periodontite, reabsorção de dentes adjacentes, formação de cisto, má oclusão e dor. As opções de tratamento para dentes impactados são exodontia, tracionamento ortodôntico ou cirúrgico-ortodôntico, e transplante dental. O objetivo deste artigo é relatar um caso clínico de rara impacção dental de primeiro, segundo e terceiro molares com risco de fratura mandibular, em que a paciente compareceu ao ambulatório de Cirurgia Bucomaxilofacial da OSID/UFBA encaminhada para avaliação das unidades dentais impactadas. Ao exame clínico, foi observada ausência das unidades 36 e 37 na cavidade oral e unidade 38 mesioangulada e semierupcionada. O tratamento optado foi a exodontia das unidades impactadas sob anestesia geral. O tratamento mais indicado para a impacção dental é o tracionamento ortodôntico, porém este apresenta limitações frente a alguns fatores que devem ser analisados para a definição da conduta sobre estas impacções, podendo ser indicado em impacções complexas, tratamentos invasivos como a exodontia dental. Descritores: Cirurgia bucal, dente não erupcionado, complicações intraoperatórias. Abstract Dental impactions are defined as absence of dental eruption caused by an identified physical barrier or abnormal position of the tooth. The presence of impaction in the first and second lower molars is of low incidence representing 0.01% and 0.06%, respectively, and in both cases the most common is unilateral, mesioangulated presentation with female prevalence, what makes them rare. The first and second molars are of great importance for the normal development of the dentition and the coordination of facial growth, the impaction of them may influence these mechanisms and also cause problems such as caries, periodontitis, reabsorption of adjacent teeth, cyst formation, bad occlusion, and pain. Treatment options for impacted teeth are extraction, orthodontic or surgical-orthodontic traction and dental transplantation. The aim of this article is to report a clinical case of rare dental impaction of first, second and third molars with risk of mandibular fracture, in which a female patient came to the ambulatory OSID/UFBA Oral and Maxillofacial Surgery and was referred to evaluate the impacted dental units. Clinical examination showed absence of units 36 and 37 in the oral cavity and that unit 38 was mesioangulated and semi-erupted. The treatment option was exodontia of the impacted units under general anesthesia. The most appropriate treatment for dental impaction is traction, but it has limitations that must be analyzed for definition of conduct on these impactions, it may be indicated in complex impactions and invasive treatments such as dental extraction. Descriptors: Oral surgery, unerupted tooth, intraoperative complications. 1 Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – OSID/UFBA. 2 Interno em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – OSID/UFBA. 3 Preceptor do Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – OSID/UFBA.

Categorias: , ,

Com base em 0 avaliações

0.0 geral
0
0
0
0
0

Seja o primeiro a avaliar "Rara impacção dental de primeiro, segundo e terceiro molares com risco de fratura mandibular – relato de caso"

Ainda não há avaliações.

Informações Gerais

Não há perguntas ainda.

CARRINHO DE COMPRAS

close