, ,

Avaliação in vitro do desempenho da alça ortodôntica em T


R$56,00

  Perguntas e Respostas
O objetivo deste estudo foi avaliar em testes de tração os efeitos na relação carga/deflexão de alças de retração em T quando alterados na confecção o tipo de liga metálica (aço inoxidável ou titânio-molibdênio -TMA) e a altura (7 e 9 mm). Quarenta alças foram confeccionadas combinando os dois fios e as duas alturas, divididas em 4 grupos (10 alças por grupo), mantendo-se uma dimensão horizontal de 10 mm. Os testes foram realizados em máquina para ensaios de tração com célula de carga, onde as alças de cada grupo sofreram ativações a partir de 1 mm até 3 milímetros, com intervalos de 0,5 mm. Os resultados mostraram que tanto a variação da liga quanto da altura da alça produziram variação significativa na relação carga/deflexão. Foi feita uma comparação entre os níveis de força encontrados em cada uma das situações testadas e os valores recomendados na literatura científica para retração dos dentes anteriores. Foi observado que para 1,0 mm de ativação, apenas as alças de aço com 7 mm de altura atingiram os níveis de força recomendados. Para as ativações de 1,5 e 2,0 mm, tanto as alças de aço de 9 mm quanto as alças de TMA com 7 mm atingiram tais valores. Para as ativações de 2,5 e 3,0 mm, apenas as alças de TMA com 9 mm de altura foram consideradas seguras, uma vez que todas as demais produziram forças demasiadamente altas para o uso clínico.
Descritores: Ortodontia, fechamento de espaço ortodôntico, materiais biocompatíveis.
Abstract
The aim of this study was to evaluate, in traction test, the effects on the load/deflection rate of the T-loop, when changing the type of alloy used in its confection (stainless steel-SS -or Titanium-Molybdenum alloy – TMA), and the height of the loop (7 and 9 millimeters). Forty loops were bent combining the two alloys and the two heights, divided in four groups of 10 loops each. The horizontal dimension was kept in 10 mm. The tests were made in a traction test machine with a load cell, where the loops from each group were activated from 1 to 3mm in steps of 0.5mm. Results showed that both the variation of the alloy and the variation of the height produce significant changes in the load/deflection rate. A comparison was made between the forces found in each of the situations tested and the numbers suggested in the scientific literature for anterior retraction, and it was observed that, for activations of 1mm, only the SS 7mm high loops reached the levels recommended. For activations of 1.5 and 2.0mm, both the loops made of SS 9mm high and the ones made of TMA 7mm high delivered the necessary force. For activations of 2.5 and 3.0 mm, only the TMA loops 9mm high were considered safe for clinical use, since all the other loops delivered excessive force.
Descriptors: Biomechanics, Orthodontics, orthodontic space closure, biomaterials.
1 Mestre em Ortodontia – UFF, Especialista em Ortodontia – UGF.
2 Mestre em Ortodontia – UFRJ, Diplomado pelo Board Brasileiro de Ortodontia – BBO, Professor de Ortodontia – UNESA.
3 Professor Adjunto de Ortodontia – UFF, Coordenador do Curso de Especialização em Ortodontia – UFF, Especialista, Mestre e Doutor em Ortodontia – UERJ.
Categorias: , ,

Com base em 0 avaliações

0.0 geral
0
0
0
0
0

Seja o primeiro a avaliar "Avaliação in vitro do desempenho da alça ortodôntica em T"

Ainda não há avaliações.

Informações Gerais

Não há perguntas ainda.

CARRINHO DE COMPRAS

close