, ,

Como os padrões esqueléticos horizontal e vertical influenciam na espessura do tecido mole facial – um estudo longitudinal em adolescentes


R$56,00

  Perguntas e Respostas

Introdução: Esse estudo teve como objetivo avaliar as alterações e desenvolvimento do
perfil mole (espessuras labiais superior e inferior) no período entre 10 e 15 anos de idade. Material e método: Uma amostra homogênea Franco-Canadense de 185 indivíduos não tratados
ortodonticamente (106 meninas e 79 meninos) foi selecionada. Seis medidas de espessura de
tecido mole (ENA’, ponto A’, lábios superior e inferior, ponto B’ e pogônio) foram avaliadas.
Indivíduos Classe I (ANB entre 0º a 4º) e Classe II (ANB ≥ 4º) foram comparados, bem como
indivíduos classificados como hipodivergentes (MPA = 31.8º ± 2.4º) e hiperdivergentes (MPA
= 40.9º ± 2.6º). O dimorfismo sexual também foi avaliado. Resultados: Embora a espessura do
tecido mole tenha aumentado entre os 10 e 15 anos de idade, não houve diferenças significativas entre indivíduos Classe I e Classe II, bem como entre hipodivergentes e hiperdivergentes.
As diferenças encontradas entre os indivíduos Classe I e Classe II se limitaram ao ponto A’ e L1’
(10 anos de idade) e L1’ e ponto B’ (15 anos de idade). Quando os grupos hipo- e hiperdivergentes foram comparados, as mudanças foram em relação ao U1’, ponto B’, e Pog’(10 e 15
anos de idade). Embora adolescentes masculinos apresentassem tecidos moles mais espessos
em quatro (10 anos de idade) e em todas as seis (15 anos de idade) das espessuras avaliadas,
apenas a parte do tecido mole maxilar apresentou um maior desenvolvimento entre os cinco
anos de avaliação, quando comparados com as adolescentes femininas. Conclusão: O tecido
mole torna-se mais espesso durante a adolescência com um padrão semelhante aos indivíduos
Classe I, quando comparados com Classe II e também quando indivíduos hipodivergentes são
comparados com hiperdivergentes. Adolescentes masculinos apresentaram tecido mole facial
mais espesso que o das adolescentes femininas precoce (10 anos de idade) e tardiamente (15
anos de idade), mas apenas em relação aos tecidos maxilares apresentaram um espessamento
durante o crescimento (dos 10 aos 15 anos de idade).
Descritores: Perfil, tecido mole, Classe I, Classe II, hipodivergente, hiperdivergente.

Categorias: , ,

Com base em 0 avaliações

0.0 geral
0
0
0
0
0

Seja o primeiro a avaliar "Como os padrões esqueléticos horizontal e vertical influenciam na espessura do tecido mole facial – um estudo longitudinal em adolescentes"

Ainda não há avaliações.

Informações Gerais

Não há perguntas ainda.

CARRINHO DE COMPRAS

close