, ,

Acesso retromandibular não transparotídeo para tratamento de fratura condilar – relato de caso


R$56,00

  Perguntas e Respostas

Vol. 9 – Número 35 – 2018 CADERNO DE IMPLANTODONTIA Relato de caso / Case report Página 60-64 Acesso retromandibular não transparotídeo para tratamento de fratura condilar – relato de caso Non-transparotetic retromandibular access for condilar fracture treatment – case report Carlos Vinícius Ayres Moreira1 Larissa Oliveira Ramos Silva1 Bruna Pedral Sampaio de Souza Dantas1 Samário Cintra Maranhão2 Resumo Os métodos de tratamento para fraturas do côndilo mandibular são bastante controversos e ainda geram discussões entre cirurgiões sobre as indicações e contraindicações para o tratamento conservador ou cirúrgico. Ao optar-se pelo tratamento aberto destas fraturas, os acessos cirúrgicos trazem dúvidas, principalmente com relação às injurias ao nervo facial. Os inúmeros acessos descritos na literatura apresentam peculiaridades anatômicas, sendo os extrabucais pré-auricular, submandibular (Risdon) e retromandibular os mais utilizados. A abordagem retromandibular foi descrita pela primeira vez por Hinds;Girotti (1967)5, e é realizada através da divulsão do sistema músculo-aponeurótico superficial (SMAS) e na intimidade da glândula parótida, entretanto, novas formas de abordagem retromandibular têm sido descritas. Sendo assim, o objetivo desse trabalho é demonstrar o passo a passo do acesso retromandibular não transparotídeo realizado através de uma incisão localizada posteriormente ao ramo mandibular, abaixo do lóbulo da orelha, sendo que os cotos fraturados são acessados através de uma clivagem entre a glândula parótida e o músculo masseter, utilizada rotineiramente pela equipe de Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Geral do Estado da Bahia, como alternativa terapêutica para fraturas do côndilo mandibular. O acesso retromandibular constitui-se como excelente alternativa para cirurgias de tratamento das fraturas condilares, apresentando bons resultados funcionais, estéticos e baixa morbidade ao nervo facial. Descritores: Fraturas mandibulares, côndilo mandibular, cirurgia bucal. Abstract The treatment methods for mandibular condyle fractures are quite controversial and still generate discussions among surgeons about indications and contraindications for conservative or surgical treatment. When opting for the open treatment of these fractures, the surgical accesses bring doubts, mainly regarding the injuries to the facial nerve. The numerous accesses described in the literature present anatomical peculiarities, being the pre-auricular extrabuccal, submandibular (Risdon), and the retromandibular most used. The retromandibular approach was first described by Hinds;Girotti (1967)5, and is performed through the divulsion of the superficial musculo-aponeurotic system (SMAS) and in the intimacy of the parotid gland, however, new forms of retromandibular approach have been described. Thus, the objective of this work is to demonstrate the step-by-step non-transthrombotic access by means of an incision located posteriorly to the mandibular branch, below the earlobe, where the fractured stumps are accessed through a cleavage between the gland and the masseter muscle, routinely used by the Buccomaxillofacial Surgery team of the General Hospital of the State of Bahia, as a therapeutic alternative for mandibular condyle fractures. Retromandibular access is an excellent alternative for condylar fracture surgery, presenting good functional and aesthetic results, and low morbidity to the facial nerve. Descriptors: Mandibular fractures, mandibular condyle, oral surgery. 1 CD, Residente em CTBMF – UFBA/OSID. 2 Cirurgião BMF – Hospital Geral do Estado da Bahia.

Categorias: , ,

Com base em 0 avaliações

0.0 geral
0
0
0
0
0

Seja o primeiro a avaliar "Acesso retromandibular não transparotídeo para tratamento de fratura condilar – relato de caso"

Ainda não há avaliações.

Informações Gerais

Não há perguntas ainda.

CARRINHO DE COMPRAS

close